Turismo e Entretenimento

Entrevista com Wilson Sideral

Por Cristina Sanches - Trilha Cultural

Ele é mineiro, de Alfenas, mas filho de Belo Horizonte de coração. Nasceu em uma família de artistas. A influência dos avós e tios fez crescer, ainda garoto, a paixão pela musica. Tem no currículo indicações para prêmios como o Gammy Latino e Multishow de Música Brasileira, canções em trilhas sonoras de novelas e composições famosas nas vozes de outros músicos como “Fácil” e “Na Moral”. São 10 anos de carreira e uma grande bagagem. Estamos falando de Wilson Sideral, primeiro artista no Brasil a lançar um trabalho musical com a tecnologia USB.

O Trilha Cultural conversou com esse importante músico, compositor, instrumentista e produtor mineiro sobre o seu novo trabalho, carreira e outros assuntos. Confira!

1) Como descobriu o tino para a música?
Wilson Sideral: Essa vocação é ‘coisa’ genética, tenho dentro da minha família, um ‘monte’ de tios, tias, primos, e irmãos músicos. Todos cantam, tocam violão e fazem isso com uma alegria enorme. Quando rola encontro da família, lá em Alfenas, rola ‘fila’ pra ver quem pega o violão, rs.

2) Depois de quatro álbuns de estúdio lançados, você lança um trabalho em USB, sendo o primeiro trabalho musical no Brasil com essa tecnologia. O que o levou a essa ideia?
Wilson Sideral: Bem, a ideia inicial era apenas registrar, em estúdio, cinco canções inéditas minhas, mas, ao longo do processo, convidei o amigo e diretor de videoclipes, Marinho Antunes, para registrar também em vídeo os bastidores das gravações no estúdio Máquina (Skank). E o resultado foi tão surpreendente que resolvemos lançar, além das músicas, videoclipes, documentário, fotos, letras e cifras, num formato multimídia. A idéia do pen drive veio dessa necessidade de uma mídia que suportasse todos esses diferentes tipos de arquivos digitais.

3) Acha que pode ser uma nova tendência do mercado fonográfico?
Wilson Sideral: Acho que é uma alternativa criativa nesses tempos de crise na indústria do CD. Chama a atenção para o novo, a possibilidade de carregar seus arquivos em um pen drive customizado, com um material exclusivo de um músico que você curta, é algo que pode dar certo.

4) O que o Pen Drive #Singles oferece para o público?
Wilson Sideral: Qual o seu objetivo com esse trabalho? O Pen Drive #SINGLES traz cinco canções inéditas, “Apenas Assim”, “Deu Saudade [Da Gente]”, “Quase Um”, “Voz, Solidão e Violão” e “Um Céu Cinco Estrelas”, seus respectivos videoclipes, um documentário dos bastidores das gravações, ‘extras’ acústicos com versões mais intimistas das músicas, suas letras e cifras para a rapaziada interessada em aprender a tocar e cantar essas canções, fotos e wallpapers em alta resolução para customizar o desktop dos computadores, logos, contatos. O objetivo é levar as pessoas que admiram meu trabalho para dentro do processo de criação, fazê-las entender todo o trajeto, desde a composição, passando pela produção, arranjos, ensaios, gravação, até o produto final, música e videoclipe!

5) Como foi o processo de composição das músicas? E dos vídeos?
Wilson Sideral: O processo de composição segue um ritual habitual meu, com madrugadas em claro, folhas de papel, inspirações, tentativas, erros, cigarros (politicamente incorreto), dor, amor, um verdadeiro ‘parto’. É um processo meio solitário, mas que depende muito de tudo aquilo que acontece em minha volta, meus amigos, minha família, minha paixão, minha observação do mundo a que pertenço. Já os vídeos, são resultado do olhar atento e talentoso do diretor Marinho Antunes sobre o processo todo. Ele passou horas e horas nos filmando e, com extremo bom gosto, editou o que de mais relevante ilustra essa jornada do músico e sua criação.

6) As músicas seguem o mesmo estilo das canções dos outros álbuns?
Wilson Sideral: Sim, é uma continuidade do que já venho fazendo nestes anos todos, mas sempre buscando aperfeiçoamento, novos ângulos para as mesmas imagens, novos timbres para as mesmas emoções. Dessa vez, a participação dos músicos, que também me acompanham ao vivo, foi fundamental. Adriano Campagnani (Baixo) e David Maciel (Bateria), além do produtor e tecladista, Ruben Di Souza, contribuíram muito com os arranjos, ‘levadas’ e ideias para as músicas, sem eles o trabalho teria outra cara.

7) Como está sendo a turnê?
Wilson Sideral: Esta é, sem dúvida, a parte mais divertida de todo o processo. Pegar a estrada com os amigos da banda e a equipe técnica, conhecer pessoas e lugares novos, cantar, tocar, suar a camisa, dar vida ao que sentimos, ao vivo, é muito mais divertido do que trancado em um estúdio. Mas, tudo tem seu preço. Também cansa as longas viagens e esperas, ônibus, van, aeroporto… Tudo isso, a gente esquece na hora de subir ao palco e ver a alegria nos olhos das pessoas. Vale sim, muito a pena!!

8) O que acha do compartilhamento de arquivos via web? Prejudica ou ajuda o artista?
Wilson Sideral: Sou a favor e coloquei os arquivos para compartilhamento através de sites como o YouTube, Palco MP3, Sound Cloud, Reverb Nation, entre outros. Acessibilidade cultural é tudo em um País onde ‘alguns veículos de comunicação’, continuam a cobrar por espaços em rádio e TV. O artista que tem seu trabalho disponibilizado na rede está, sem duvida, mais perto das pessoas. Não acho que prejudique não, pelo contrário, esta visibilidade aumenta as possibilidades do artista fazer mais apresentações e ter seu trabalho executado, o que realmente gera a ‘receita’ para seguir em frente!

9) Há solução para a pirataria no mercado fonográfico?
Wilson Sideral: Apenas uma solução, não. Acredito que existam várias soluções, muitas delas, estamos colocando em prática, como o pen drive ou novos formatos de mídia, o compartilhamento dos arquivos na rede, a prática de preços mais acessíveis nos CDs e DVDs. Mas, enquanto o Brasil (Governo) não criar leis, fiscalizar, penalizar os ‘pirateadores’ e dar mais atenção, cultura e educação, e o Brasil (povo) não tiver acesso a essa informação e a consciência de que pirataria é crime e que ela leva a falta de cultura, será muito difícil encontrar “A” solução.

10) O que acha da qualidade da música brasileira atualmente?
Wilson Sideral: Está cheio de gente boa por aí, com qualidade, com bagagem, com vontade e talento para deixar a música brasileira mais rica ainda. O que falta é oportunidade, espaço, atenção, incentivo e educação. Agradeço a vocês do Trilha Cultural, por ser este espaço tão escasso nos dias de hoje.

11) Nunca pensou em lançar um trabalho especial com o Rogério e o Landau?
Wilson Sideral: Sim, a gente pensa, a gente sente falta, a gente quer, mas a correria ainda não deixou isso acontecer. Tudo tem a hora certa e Deus sabe quando isso será.

12) Deixe um recado para o leitor do Trilha Cultural?
Wilson Sideral: Quero, primeiramente, agradecer a vocês do Trilha Cultural por esta entrevista sensacional, agradecer a todos os leitores pela atenção e convidá-los a conhecer um pouco mais do meu trabalho através dos meus sites oficias que são:

http://www.wilsonsideral.com.br
http://www.youtube.com/wilsontubesideral
http://www.twitter.com/sideraloficial
http://www.myspace.com/wilsonsideral
http://palcomp3.com/wilsonsideral/
http://wilsonsideral.com.br/release/
http://www.flickr.com/photos/wilsonsideral/
http://www.blogdosideral.com.br
http://www.reverbnation.com/wilsonsideral
http://soundcloud.com/wilsonsideral

Wilson Sideral – Perfil

1 – Nome, idade e profissão?
Wilson Sideral da Silveira Oliveira Filho, 35, cantor, compositor, instrumentista e produtor musical.

2 – Cor preferida?
Laranja e roxo.

3 – Gosta de cozinhar?
Não é meu forte não, mas faço uma massa colorida (receita da minha mãe, rs), que é bem boa, apelidei de “Macarrão Sideral”!

4 – Prato preferido?
Costelinha de porco! Ô Minas Gerais!

5 – Restaurante preferido?
Faz de Conta (KM 548 – Jardim Canadá – BH).

6 – Lazer?
Cinema, futebol, viagem para o litoral.

7 – Lugar para viajar?
Opa! Como eu disse na resposta anterior, viagem tem que ser para a praia.
Especialmente se for para o Pernambuco! “Bão demais”!

8 – Lugar para morar?
Nossa querida e linda Belo Horizonte!

9- O que não pode faltar em uma viagem?
Minha mulher, meu filho e meu violão…

10 – Lugar que deseja conhecer?
Fernando de Noronha.

11 – Livro?
A Bíblia.

12 – Cantor?
Milton Nascimento.

13 – Ator?
Tom Hanks.

14 – Filme?
“The Green Mile” (“A Espera de Um Milagre”).

15 – Belo Horizonte?

BH me acolheu como um filho. Tenho por esta cidade o mesmo amor, que levo no coração, pela minha cidade natal, Alfenas/MG.

 

Ir para Entrevistas / Sugerir

 

você pode gostar também