Turismo e Entretenimento

Que tal um final de semana por R$250?

Como a proposta da coluna é dar dicas de viagens baratas,  vale a pena indicar um destino mais do que especial. Entre os meus refúgios preferidos, Arraial do Cabo lidera a lista.

A cidade do Litoral Norte Fluminense muitas vezes é vista de rabo de olho já que Cabo Frio rouba toda a atenção. Claro que Cabo Frio merece o status que possui, mas ainda prefiro Arraial. Além de me agradar mais, é possível passar um final de semana em praias paradisíacas e por cerca de R$ 250 (transporte/hospedagem/alimentação).

Pôr do sol digno de palmas, areia branquinha e tranquilidade – a duas horas e meia do Rio. As praias são lindas e mais vazias – além de ter a espetacular Ilha do Farol, que tem o acesso controlado e o único jeito de chegar até lá é por embarcação.  A água é tão limpa que faz o viajante se sentir em A Lagoa Azul.

Costumo relaxar por lá gastando muito pouco. Como? Vai fazendo as contas…

– Saindo do Rio de Janeiro a ida e a volta custam em média R$ 50. Depois que chegar à rodoviária da cidade, tudo pode ser feito a pé.

– Chegando em Arraial, é fácil arrumar hospedagem. Há pequenas e simples pousadas. Minha dica: Marina dos Anjos – uma pousadinha que tem dois quartos coletivos para mochileiros alberguistas. O café da manhã é farto e os quartos com ar condicionado. A área comum com livros, guias, filmes. Sem contar a área de fora com uma tenda cheia de almofadas, esteiras e o violão, para quem quiser arriscar uns acordes. Diárias variam conforme a temporada, mas em média R$ 40 o quarto coletivo. Mas há quarto de casal e também espaço para camping.

– Se tiver uma grana extra, vale a pena um passeio de barco. Bebida liberada, passeio pela Gruta Azul, além da  MARAVILHOSA Ilha do Farol – presença só permitida por tempo determinado porque é reserva da Marinha. Dependendo da temporada, o preço pode variar muito. Mas uma média de R$ 40. Se você tiver sorte pode até nadar com tartarugas.

– Se quiser, há várias empresas que fazem batismo de mergulho. Mas pechinchar é essencial porque há grandes diferenças de uma empresa para outra. O bom se preparar para ficar o dia todo a bordo de um barco porque são muitos “iniciantes” por dia. Até hoje não me aventurei (menos pela grana e mais pelo enjoo de ficar o dia inteiro por conta de um mergulho). Na hora de optar pelo mergulho, melhor se informar quanto tempo dura todo o passeio e avaliar se vale a pena.

– Ao entardecer, “pernas pra que te quero” ou uma boa carona até o Pontal do Atalaia para ver o pôr do sol. Lindo mesmo. Me desculpe o Arpoador (que também é lindo) mas o de Arraial é insuperável.

– Se quiser descansar, melhor optar pelas praias mais afastadas, como a Prainhas (no plural mesmo) e a Praia do Forno. As que ficam na entrada da cidade além de mais caras, são cheias de turistas (Prainha, Praia dos Anjos…) – nada contra os turistas, a propósito!

– Dependendo da noite que estiver lá, tem uma feirinha de produtos locais na praça da cidade. Na mesma região, pizzarias, sorveterias e um clima de cidade do interior (isso se não for Carnaval).

– E se quiser se aventurar a boates e afins, melhor esquecer Arraial e seguir a noite para Cabo Frio. Tem ônibus urbano que deixa tanto próximo à Praia do Forte quanto do outro lado de Cabo Frio, mais próximo à lagoa.

Somando, é possível uma viagem incrível de 3 dias (sexta a domingo) por cerca de R$ 250!!!!

Hospedagem 2 noites: em média R$ 80
Passagem ida e volta: em média R$ 55
Comidas, passeio e afins: depende de cada um, mas não fica tão caro!

 

Mônica SouzaPor Monica Sousa
Monica Sousa é jornalista. Mestre em Comunicação. Viajante sem luxos. Descobriu o prazer de viajar sozinha e não parou mais. No blog batendo-perna mostra que é possível se divertir gastando pouco. Viajar bem e barato.

 

você pode gostar também